Minhas condolências


É, talvez tenha chegado o momento.
Algumas vezes, somente algumas vezes em nossa vida, nós temos a chance de retomar algo, mesmo após o caos, mesmo após tudo o que dissemos, mesmo depois de todas as atitudes tomadas e todos os atos falhos que até o presente momento não foram perdoados por puro e horrorosamente pragmático orgulho de fera ferida.
Somente algumas poucas vezes na vida nós encontramos alguém em quem achamos poder confiar cegamente, somente algumas vezes coisas inimagináveis são capazes de nos acontecer e, geralmente, acontece quando estamos ao lado das pessoas que amamos. É, certas coisas não devem ser deixadas para trás, de maneira nenhuma, nunca.
Talvez não tenhamos nos dado conta, mas em nenhum momento procuraremos pela pessoa perfeita e, talvez, se achássemos a tal referida, não gostássemos dela. Procuramos pessoas com defeitos, pessoas de carne e osso, pessoas que erram de uma forma aparentemente imperdoável, pessoas que negam sentimentos, que negam favores, negam laços e quem sabe lá pessoas que até se destroem aos poucos sem que percebam a si mesmas. Procuramos pessoas de verdade, que tenham dúvidas quanto o que fazer da vida, quanto dinheiro guardar no banco, quanto gastar, onde trabalhar ou estudar, com qual grupo andar, quais roupas vestir de manhã cedo. Procuramos pessoas que tenham medo da vida, medo da morte, medo de interagir, de falar com outras pessoas.. Procuramos por aqueles que tenham medo de escrever, medo de se mostrar ao mundo, medo de sentir, medo de errar, medo de amar. Procuramos imperfeições que se adequem as nossas. Procuramos insaciavelmente por pessoas que errem, e que errem muito! Porém que tomem coragem para voltar, que tenham muito medo, mas que perdoem e peçam perdão. Procuramos alguém que ame, e que nos deixe amar.
Não vale a pena tentar esquecer de algo que nasce conosco, nem mesmo deixar tudo passar. Acontece, meus caros, que certas coisas não passam com o tempo e talvez nem mesmo com a morte. Certas coisas foram feitas para permanecer intactas a toda e qualquer turbulência. Indiscutivelmente, o tempo pode dar um lugar certo a essas coisas e mostrar de que forma mantê-las, mas em hipótese nenhuma apagá-las.
Nem sempre que amamos alguém, seremos um casal, moraremos juntos e teremos filhos. As vezes amamos um amigo como se fosse um irmão e consideramos como parte de nossa família, as vezes amamos e fingimos que não, as vezes amamos e nos vemos uma ou outra vez, mas o que sentimos permanece igual.
Meu querido, não importa o que você faça. Mais um ciclo se cumpriu e eu gostaria de poder olhar no fundo dos teus olhos nesse dia e lhe dizer que agora está tudo bem.
Somos apenas um ponto azul no meio do nada e no nosso nada, nós podemos tudo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postagens recentes

recentposts

Postagens que você possa gostar

randomposts