Devaneio


Senti que aquela solidão era minha, senti que aquela palidez da neblina do inverno era por minha culpa também. Senti aqueles olhos cabisbaixos como eu sentiria uma facada no meu ego, um choque, um abatimento indescritível. Sim, era você.
Você está aqui novamente. Você está ao meu lado, me dando a sua mão, fazendo as minhas pupilas dilatarem. Quanta saudade eu senti desse seu olhar sem graça e desse seu sorriso que saiu quase escondido pelo receio de estar se aproximando de alguém. É, nisso somos até um pouco iguais, admito.
Se eu soubesse pelo o que estive esperando durante este tempo todo, não teria me importado em nenhum instante. Você está aqui de novo, e dessa vez com a certeza da qual nós precisávamos ter.
Há tanta coisa que eu poderia te dizer, mas meus olhos permanecem parados na lembrança do dia em que eu te disse adeus. Depois daquilo, o que se sucedeu foi pura invenção e perda de tempo.

Compartilhe essa postagem!

Sobre a autora

Thuane Graciele Knopf Kunz

20 anos, estudante de História, namorada do Bruno e moradora de Novo Hamburgo, RS.

0 comentários:

Postar um comentário